Abrindo a mente para o processo de mudanças

Facebook Twitter Google+ LinkedIn WhatsApp

“A maior dificuldade não é fazer as pessoas aceitarem novas ideias e sim esquecerem as velhas.”

John Keynes

No mundo das organizações, poucas palavras parecem assustar tanto as pessoas quanto a palavra MUDANÇA. O que é absolutamente certo é que as mudanças não apenas continuarão fazendo parte da realidade de nossos dias , como tendo uma velocidade e intensidade cada vez maior. O desafio de todos que lideram pessoas passa a ser construir uma mentalidade que facilite à adaptação a novos cenários que surgirem, desenvolvendo uma capacidade de resiliência a tudo de novo que se apresentar.

Cabe aqui uma pergunta essencial: por que as pessoas têm tanta dificuldade em se adaptar a novos contextos? A primeira explicação parece estar ligada à insegurança que as pessoas sentem a tudo que é novo em seu ambiente de trabalho. Boa parte das atividades exercidas no dia a dia tendem a ser repetitivas , com processos que permitem as pessoas quase que trabalharem no “piloto automático”. Quando chega a mudança, é necessário reaprender , por vezes até esquecendo da maneira como as coisas eram feitas em tempos anteriores e se adaptar a uma realidade de ser novamente um aprendiz , quando já se foi um expert. Essa mudança de status, de expert para aprendiz , causa um enorme desconforto nas pessoas , que preferem,por razões óbvias, a zona de conforto aonde se encontravam anteriormente.

Em minha experiência como empresário e consultor de grandes empresas, vi diversas vezes organizações vivenciarem esses processos e vislumbrei um erro que acontece, na minha visão, em 08 de cada 10 empresas públicas ou privadas que é a falta de competência dos gestores para explicar às suas equipes as razões da mudança , garantir as pessoas que a adaptação será gradual, dando tempo para que cada um assimile uma nova forma de trabalho e, principalmente, mostrando que a médio prazo essas mudanças trarão grandes oportunidades para quem atua lá.

Vale ainda dizer que boa parte das empresas fecha as suas portas pela incapacidade de vislumbrar as mudanças necessárias e as colocar em prática. Conceitos como “isso não vai pegar”, “isso é passageiro”,” nossa empresa tem muita tradição e não precisa ir por esse caminho ” foram frases que serviram de epílogo a histórias de empresas que foram sucesso no passado e não souberam vivenciar a mudança de forma pró ativa. O mesmo vale para pessoas que acharam que não precisavam seguir aprendendo, que sua experiência e aprendizado do passado seria garantia de um futuro tranquilo, até que a nova realidade surgiu e os pegou na contramão , encerrando ciclos profissionais que não precisam ter apagado se a pessoa estivesse com a mente aberta para a mudança.

O nome do jogo é MUDANÇA. É ele que iremos praticar cada vez mais e saber jogar com competência ajudará a construir empresas e pessoas de alta performance.

Eduardo Tevah é um dos mais reconhecidos palestrantes e consultores do Brasil. – eduardotevah.com.br

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: