Recessão e modelo econômico exaurido

Facebook Twitter Google+ LinkedIn WhatsApp

A sociedade se ressente das dificuldades causadas pela fraca atividade econômica. Não é possível desvincular a crise politica da crise econômica que tem gerado milhares de desempregos no País. Abertamente a prioridade do governo é tentar salvar o poder e tudo o mais fica a deriva. Do ponto de vista politico, não vejo conexões que possam justificar as ideias dos partidos socialistas com modelos republicanos e democráticos.

Existem exemplos de Países nestas condições que provam isso, mantém longos mandatos no poder, sem, contudo, promoverem ações com vistas ao crescimento econômico para o longo prazo, é o caso da Bolívia, da Venezuela e de Cuba. Portanto, o discurso dos governistas de que é preciso salvar o impeachment para preservar a democracia não faz sentido.

Na prática, o crescimento econômico do Brasil está comprometido por diversas razões: crise na Petrobrás (desvios de dinheiro público); aumento da dívida pública (excesso de gastos reduz investimentos); reajustes nos combustíveis (impactam em muitos outros preços); exaustão da política de expansão do crédito (inadimplências); risco de viés na inflação (compromete a credibilidade da moeda); juros elevados (contém o consumo e retarda investimentos); pouca credibilidade nos políticos (administração pública exígua), etc.

Ainda, os preços dos alimentos são pressionados de várias formas: o País concentra cerca de 85% do escoamento da produção no modal rodoviário que tem custo elevado; os aumentos na energia elétrica têm reflexos nos preços em geral; a baixa produção industrial reduz a oferta e pressiona os preços.

Na esfera teórica, a tríade macroeconômica (políticas: monetária, fiscal e cambial) que tem como centro do sistema as metas de inflação, mostra exaustão e sinais de desgaste. Os programas sociais, a maior propaganda do governo, são insuficientes para haver distribuição de renda com mais equidade no País.

As razões do pedido de impeachment da Presidente vão além das pedaladas fiscais, pois o Governo é incapaz de atender as demandas sociais (não me refiro aqui as centrais sindicais) e também porque existem parlamentares de vários partidos, investigados por suspeitas de corrupção. É preciso haver reformas profundas no sistema politico brasileiro e eliminar as mazelas. Caso contrário, continuaremos com o falso rótulo de País desenvolvido do futuro.

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: