O sacrifício de "Nego" piora a imagem pública de Dilma Roussef | Por Polibio Braga

Facebook Twitter Google+ LinkedIn WhatsApp

 

As redes sociais amplificaram neste final de semana as notícias de que
a presidente cassada Dilma Roussef mandou matar (sacrificar) seu cão
labrador "Nego", alegando que ele estava velho e doente. O cão foi presente
do mensaleiro Zé Dirceu, seu companheiro de armas e de PT, preso como
corrupto em Curitiba. 
O editor também possuía um labrador, Yoda, igualmente com 14 anos,
velho e doente, mas aguardou sua morte natural, o que ocorreu há quatro
semanas. Houve momentos em que a eutanásia pareceu a melhor solução, até para
evitar o sofrimento continuado de Yoda, mas enquanto ele conseguiu ficar de
pé, mesmo por poucas horas, foi impossível executar qualquer plano de
sacrificá-lo.
O problema nem é propriamente o sacrifício de "Nego", mas o momento
escolhido para fazer isto.
Dilma Roussef escolheu um momento politicamente péssimo para mandar
matar "Nego", embora até mesmo os melhores veterinários aconselhem o
sacrifício quando o cão apresenta quadro clínico terminal. O sacrifício
amplifica sua imagem pública de mulher dura, fria e implacável. 
A informação completa sobre o caso saiu no site "Diário do Poder", do
jornalista Claudio Humberto. Leia tudo:
A pergunta não se calava em Brasília desde a partida da ex-presidente
Dilma Rousseff para Porto Alegre: “Cadê ‘Nego’?” Era referência ao cão da
raça labrador que ela ganhou do ex-ministro José Dirceu ao assumir a Casa
Civil no governo Lula. Nesta sexta (9), a assessoria de Dilma confirmou:
“Nego” foi morto (ou “sacrificado”), por opção da ex-presidente cassada, sob
a alegação que estava “muito velho e doente.  O clima dos funcionários do
Palácio Alvorada é de consternação e revolta, com a morte de “Nego” com
cinco injeções. Afeiçoados ao dócil labrador, funcionários do Alvorada
afirmam que “Nego” tinha condições de sobrevida digna, até sua morte
natural. Esperava-se no Alvorada que Dilma levasse “Nego” com ela para Porto
Alegre, mas isso teria sido desaconselhado pelo veterinário. Ao ordenar o
“sacrifício” de “Nego”, Dilma só fez piorar a sua imagem já muito negativa
junto aos funcionários do Alvorada.
No final de semana, até foi aguardado um desmentido de Dilma Roussef
ou do Alvorada, mas nada foi publicado, o que comprova que a notícia de
Claudio Humberto era verdadeira.
No blog que o editor mantém, www.polibiobraga.com.br, as opiniões de
leitores foram corrosivas contra Dilma Roussef, que parece consolidar a
imagem de mulher determinada, cruel, implacável e fria.

 

Posts Relacionados

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: