Rede de Opinião participou do I Festival Internacional do Cordeiro | Por Edith Auler

Evento aconteceu na divisa entre Santana do Livramento e Rivera

 

Meu grande amigo, talentoso jornalista gaúcho Danilo Ucha, amava vinhos e carne de cordeiro. Mantinha um blog e publicou livros sobre o tema. Falava com entusiasmo, bonito de ver. Ia almoçar com ele seguidamente. A gente buscava variar os restaurantes, em diferentes bairros. Ele sempre dava preferência para pratos com carne cordeiro e não costumava dispensar uma boa taça de vinho tinto. Semeou amigos por onde passou. Em julho deste ano, nos deixou. Um dia antes de partir, o encontrei numa pauta. Comentou que estava saudoso de sua cidade natal, Santana do Livramento, na fronteira com o Uruguai, terra de comida farta e de um bom cordeiro assado. Saí desta conversa pensando como a gastronomia e as coisas da nossa terra marcam eternamente as nossas vidas. Marcou a do Ucha. E mais recentemente, entendi melhor o sentimento do amigo.

Nunca tinha ido visitar Santana do Livramento/Rivera. Em setembro, a Turintegra me convidou para fazer parte da comitiva de jornalistas que iriam realizar a cobertura do Festival Internacional do Cordeiro. A viagem aconteceu em 21 de outubro de 2016. Saímos de Porto Alegre em um ônibus leito às 11h e chegamos por volta das 17h30min. Com direto a parada para o almoço. Depois de uma descansadinha no hotel, fomos convidados para fazer um pocket curso sobre queijos na Le Carrousel Free Shop.

A loja tem uma vitrine de encher os olhos!!! Vendem inteiros ou em fatias. O preço varia bastante, depende do produto. O pocket curso sobre queijos na Le Carrousel teve como instrutor o Toni, atencioso, bem didático. Foi agradável e interessante saber mais acerca deste universo maravilhoso dos queijos, seus variados tipos e produção. Crédito Edith Auler

Depois do curso, fomos jantar na casa do empresário Nasser Zeidan. Ele e sua esposa Leila, nos receberam. Entre novos e velhos amigos, pudemos degustar o melhor churrasco de la frontera. Coisas da nossa terra, cheia de gente que faz acontecer. Os anfitriões da noite, proporcionaram um grande momento a todos. Uma aula magma de cordeiro assado!!

No dia seguinte, nós fomos conhecer o Festival Internacional do Cordeiro. Durante o evento, aconteceu o concurso de Melhor Assador de Cordeiros, uma integração entre os três países: Argentina, Uruguai e Brasil. Cada assador teve dois cordeiros para assar e os jurados profissionais fizeram o julgamento do preparo da carne, técnica, vestimenta, sabor e outros quesitos. Foram convidados chefs internacionais para avaliar cada um dos churrascos. Sergio Puglia, do Uruguai, Eduardo Romay, da Argentina. Aqui pelo Brasil, a jurada foi Clarisse Chwartzmann.

A ideia do Festival surgiu no meio do pesadelo da crise. O turismo na Fronteira caiu vertiginosamente e os problemas se multiplicaram. Foi então que um grupo de empresários da região se uniu, buscando encontrar novas soluções para ajudar a fomentar a economia local, que depende muito do turismo. Os empreendedores viabilizaram juntos, evento que oportunizasse atração de  turistas à Fronteira através da gastronomia local. A iniciativa do grupo deu mais que certo! O Festival Internacional do Cordeiro foi um sucesso de público, bastante elogiado. “A ajuda de toda a comunidade foi imprescindível para que tudo desse certo”, disse Fabiana Aguinsky, representante da Ong Turintegra.

Foi lindo de ver a organização, a forte presença da cultura gaúcha e uruguaia integrada e, sobretudo, a alegria da comunidade no evento.  Todos os ingressos para o Festival Internacional do Cordeiro foram vendidos.

O evento aconteceu no Parque internacional de Rivera. Cerca de 80% do financiamento veio com a ajuda de patrocinadores. Os valores de ingressos foram de 500,00 pesos ou 60,00 reais. Dava direito ao almoço, saladas e sobremesas e uma taça comemorativa do festival. E o grande atrativo da festa, a carne de cordeiro. Comida farta, assados incríveis de cordeiro e a ótima companhia dos vinhos tannat. Conhecemos produtores dedicados e com rótulos incríveis, como Ignácio Carrau, da Bodegas Carrau.

No meio da festa, parei e pensei de novo no amigo Ucha. Coisa linda tudo aquilo que estava acontecendo. Um dia especial. Tenho certeza que lá de cima, ele nos brindou com sábado ensolarado na sua terra natal. Ele recebeu uma belíssima homenagem com a criação do troféu Danilo Ucha, entregue durante no Festival,  aos vencedores da competição. Os filhos dele, nora, esposa, amigos, todos lá. Lembranças boas, risadas, emoção, regado a bons vinhos e carne cordeiro. Saudade. Que venham outros!!!!

Related Posts

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: