Eleições Presidenciais Americanas: Republicanos versus Democratas | Por Dilmar Isidoro

Facebook Twitter Google+ LinkedIn WhatsApp

Embora existam partidos menores e de pouca expressão nos Estados Unidos, a maior potência do planeta tem na politica doméstica uma tradicional contenda polarizada entre o partido republicano e o partido democrata. A disputa frenética pela conquista do poder máximo – Presidência da República – é secular.

Historicamente, os republicanos sempre foram favoráveis à redução de tributos e contenção dos gastos do governo. Segundo o partido, o setor privado é que impulsiona a economia. Entre os ambientes sociais apoiadores do partido, há: banqueiros, empresários, famílias tradicionais conservadoras, profissionais liberais, protestantes e profissionais do sistema financeiro. O Partido foi fundado em 1854 e chegou ao poder em 1858 com Abraham Lincoln. Entre os presidentes republicanos nas últimas décadas, cito: Gerald Ford (1974-1977), Ronald Reagan (1981-1989) e George Bush (2001-2009).

Seu oponente político, o partido democrata, foi fundado em 1792 por Thomas Jefferson, presidente em 1800. Entre os presidentes democratas nas últimas décadas, há: John Kennedy (1961-1963), Bill Clinton (1993-2001) e no presente Barack Obama (2009-2016). Os democratas são favoráveis o governo participar da economia e defendem o aumento de investimentos do Estado. Segundos eles, o governo junto com o setor privado, unem forças para o crescimento da economia.

A acirrada disputa política é compartilhada pela maioria dos americanos. Entre os ambientes sociais apoiadores do partido, existem: intelectuais, professores, jornalistas, artistas, trabalhadores sindicalizados, latino-americanos, imigrantes, católicos e judeus. Assim, por haver axiomas ideológicos muito distintos o País se divide em tempos de eleições.

Os americanos valorizam, sobremaneira, seu sentimento de amor e patriotismo. Fica evidente a disputa, quanto se observa que o senado tem maioria de democratas, e a Câmara dos Deputados tem maioria de republicanos. No presente, os EUA têm um dos maiores déficits fiscais da sua história. Os republicanos na Câmara pressionam para haver redução nos gastos. Já os democratas, querem mesclar aumento de tributos aos mais ricos e redução menor nos gastos, sem, contudo, afetar os programas essenciais na saúde pública.

Os dois lados usam argumentos conforme suas convicções sobre economia e não existe certo e errado, apenas ideias distintas. Os republicanos dizem que mais tributos reduzem os investimentos privados, isso eleva níveis de desemprego e dificulta o crescimento. Os democratas discordam e dizem que somente os contribuintes de maior renda e as grandes corporações teriam peso tributário maior.

O vencedor (a) da disputa entre o republicano Donald Trump e a democrata Hillary Clinton, será conhecido após 08.11.2016 e este (a) terá, entre tantos desafios, reduzir o déficit público americano e ganhar apoio popular para a politica externa, em especial, quanto aos imigrantes, Países não alinhados como a Coréia do Norte, Irã e Síria, além de medidas para conter os atentados terroristas do Estado Islâmico e de outros grupos radicais e extremistas.

Posts Relacionados

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: