ESTAMOS NA FINAL!!! | Por Marcos Vargas

ESTAMOS NA FINAL!!! | Por Marcos Vargas

Facebook Twitter Google+ LinkedIn WhatsApp

Que roteiro nestes últimos dois anos!!! Fantástico!!! Saímos de um longo período sem títulos importantes para o Pentacampeonato da Copa do Brasil, o Tri da Libertadores e a disputa do Mundial de Clubes. Chegamos a nossa terceira final. Somente 16 clubes no mundo conseguiram esta proeza e nós somos um deles! No Brasil somente Santos e São Paulo equilibram em número de disputa de finais de mundial. O Grêmio voltou ao topo com fundamentos na gestão, na base, no time que nos permitem vislumbrar um período de vitórias. Entraremos noutro ciclo virtuoso.

O jogo foi o que se esperava, nervoso. Havia a tensão da estréia numa competição desta magnitude, ainda de ressaca da conquista da Libertadores e após uma viagem longa, com fuso horário e condições distintas da nossa normalidade. Pachuca foi o adversário mais forte a enfrentar um sulamericano numa semi-final de mundial que vi. Jogo pegado e aberto, de muita marcação, várias faltas, algumas duras. Sentimos bastante a opção de passe e intensidade com que Arthur participa do jogo. Fez muita falta ao time que tentou se manter fiel ao seu estilo de jogo dentro das possibilidades. Defensivamente fizemos um jogo seguro, e ressalto alguns destaques:

Grohe, quando necessário sua segurança discreta se fez presente.

Geromel perfeito nas antecipações, se impondo aos atacantes e orientando a todos.

Cortez – que recuperação deste jogador! – brilhante na defesa, salvou no último instante duas vezes o que poderia ser a bola do jogo e incisivo no apoio.

Jael, novamente de muita entrega e energia, melhorou o time com sua entrada.

Everton, o Cebolinha é um jogador raro, com faro de gol, que parte pra cima dos defensores e arrisca o chute em toda possibilidade que lhe aparece. É um dos melhores chutadores do grupo. Era destaque na base e com uma sequência será outra grande afirmação no grupo. Golaço do guri que saiu do banco para escrever seu nome na nossa história.

Renato, que muitos teimam em não reconhecer seus méritos e conhecimentos como treinador, mexeu no time pra vencer. Não fez o óbvio: sacou o Michel, pôs o Everton e meteu o time num 4-3-3 que terminou por dominar as ações do jogo. Leitura correta do nosso comandante que parece não deixar limites pros nossos sonhos.

Agora é descansar, começar a concentração para a final no sábado e observar o jogo desta tarde de onde sai nosso adversário. Estamos na final.

Queremos o Mundial!!!

Saudações Tricolores

Posts Relacionados

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: