E finalmente a vitória | Por Marcos Vargas

E finalmente a vitória | Por Marcos Vargas

Facebook Twitter Google+ LinkedIn WhatsApp

O desconforto gerado pela situação no regional tinha data e hora pra começar a se desfazer. E foi ontem. Acabamos esticando a corda além do necessário e tendo de passar por um perrengue que não estava no script. É o ônus.

A verdade é que um time campeão da América e disputando o mundial acaba sendo penalizado por um calendário ruim, mal elaborado e que atrapalha a preparação para uma temporada cheia de competições importantes. Desqualifica o nível da competição e acaba esvaziando ainda mais a importância e interesse dos regionais. É preciso repensar o Gauchão.

A vitória ontem era imprescindível para aliviar a tensão que começava a brotar na torcida. E ela veio de virada. Penamos num primeiro tempo onde o Brasil, organizado, veio com uma linha de 5 e outra de 4 se defendendo e congestionando os espaços. Luan e Cicero se sobrepunham, Cebolinha afunilava e rodávamos o campo adversário com posse de bola mas sem efetividade e conclusões. Levamos gol no único ataque com perigo do Brasil. Com as alterações no intervalo, recolocando as peças nos seus lugares, o time se acomodou em campo e o jogo ganhou fluidez. Cicero de centroavante é menos do que ele pode ser, Leo Moura pelo meio não funcionou e não tínhamos amplitude e velocidade. Alisson entrou bem, abrindo o flanco direito, incisivo e com vitória pessoal, acabou coroado com um gol (ele nos incomodou uma barbaridade na semi da CB ano passado e estreou finalmente). Jael conseguiu dar outra cara ao ataque, ganhando no corpo dos zagueiros e fazendo o pivô. Se não é um primor técnico, é dedicado e se entrega em campo. Atraiu a marcação e ajudou abrir espaços para quem aparecia de surpresa como no segundo gol do Luan, que já é o maior goleador da Arena. No final, alívio e um bom teste para a final da Recopa.

A troca do comando do time de transição mostra que pensamos mal a execução e correções de rumo foram necessárias. Sigo totalmente a favor de um time alternativo no Gauchão, mas reforçado com capacidade de enfrentamento e vitórias (temos vários bons nomes na base, mas insuficientes sozinhos para a demanda que temos e teremos). Até por que precisaremos fazer uso desta solução logo ali adiante.

E a arbitragem, hein?

Agora é a RECOPA!!!

Saudações Tricolores

Posts Relacionados

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: