GRÊMIO: Não é só futebol | Por Marcos Vargas

GRÊMIO: Não é só futebol | Por Marcos Vargas

Facebook Twitter Google+ LinkedIn WhatsApp

Chegando na Venezuela, durante um dos treinos do time, Renato vinha trazendo a caixa térmica com água e isotônicos e no campo anexo a gurizada do Monagas treinava sem água. Percebendo isto, iniciou a distribuição entre os atletas do adversário. A situação atual na Venezuela chocou a delegação que levou mantimentos e bens indispensáveis e distribuiu entre a população local. Ao visitar Maturin, o Grêmio deixa marcas profundas na população de empatia e diplomacia humanitária no futebol. As entrevistas de Renato e Cicero fogem do lugar comum e foram um apelo para que o mundo volte os olhos para a situação local. Não é só futebol. A atitude do Grêmio emocionou venezuelanos.

Sobre o jogo, valia a liderança do grupo. E a vitória veio, no último minuto e com time misto. O Grêmio fez prevalecer sua qualidade mesmo num gramado ruim. Alisson sentiu aparentemente lesão muscular e saiu aos 10 minutos do primeiro tempo. Mesmo revezando, já contabilizamos quatro lesões. Alguns fatores precisam ser considerados, como a antecipação do retorno da pré-temporada para o Gauchão, a quantidade de jogos e deslocamentos. Viagens desgastam muito e dificultam a recuperação física e muscular e as distâncias são consideráveis. O planejamento deve ser bem feito e precisa contar com informações detalhadas, que nós de fora não detemos. É preciso confiar.

A CONMEBOL, tão diligente com a festa nas arquibancadas, poderia atentar mais para a qualidade dos campos que são liberados. O gramado, lastimável, mantinha a bola sempre viva e dificultava o domínio, o passe, a conclusão. Difícil fazer uma análise do time nestas condições onde a nossa principal característica de jogo é diretamente afetada. Abrimos o placar com Ramiro, sempre intenso, e numa infelicidade marcamos contra nos minutos finais (aliás, em mais de 900 minutos só Kannemann fez dois gols no Grohe, ninguém mais). No último lance do jogo, o juiz assinala corretamente pênalti em Cicero, que fez outra boa partida, convertido pelo Jailson. Já são 12 penalidades convertidas em 12 assinaladas e com rodízio de batedores. Isto é treino. E mostra como a marcação de penalidades existentes e arbitragem podem sim ter relevância capital nos resultados. Agora é tudo na Arena contra o Defensor para confirmar a primeira colocação no grupo.

 

Saudações tricolores

IMG_20180507_003355_419-300x300 GRÊMIO: Não é só futebol | Por Marcos Vargas

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: