A CLASSIFICAÇÃO SERÁ NA ARENA | Por Marcos Vargas

A CLASSIFICAÇÃO SERÁ NA ARENA | Por Marcos Vargas

Facebook Twitter Google+ LinkedIn WhatsApp

Estamos vivos. A classificação será na Arena, como já fora contra o Botafogo em 2017. O gol do Kannemann, de cabeça após o escanteio nos coloca de novo na competição, mas tendo de jogar no limite. Na década de 90, este resultado fora seria comemorado.

Sobre o jogo, talvez o principal seja o espírito de Copa que esteve ausente. Parafraseando um amigo: Libertadores não adianta jogar, apenas. Tem que competir e muito. E eles competiram mais do que a gente. Esta competição é diferente de tudo. Estudiantes achou um gol (golaço aliás) num momento que éramos melhores, e isto nos desestabilizou.

Algumas escolhas não estão funcionando ou no mínimo outras funcionam melhor: Jael por exemplo, que tecnicamente é inferior ao André, no atual contexto e mecânica de jogo entrega bem mais pro time além de emprestar espírito competitivo. Everton é jogador para seleção, toda vez que sair dificilmente terá reposição a altura. Pepê, apesar de sentir a estreia em LA, tentou, se apresentou pro jogo e é do lugar, na impossibilidade do Alisson, era meu ficha 1. O meio campo com Maicon e Cícero me parece lento. Como se as duas peças não se encaixassem bem ou que seja necessário mais tempo para o encaixe. E para funcionar precisaríamos 2 laterais velozes na recomposição. A zaga tem ficado exposta contra os atacantes e perdemos poder de armação com o meio sobrecarregado. O que afeta também o Luan, que tem voltado além do meio campo saindo das entrelinhas onde rende mais. Há um desajuste aparente em campo.

Numa Libertadores, num jogo como este contra o Estudiantes, a gente com mais time entrou devendo vontade e isto é mortal nesta competição. Demorou e muito a cair a ficha, entramos para jogar e eles para decidir. É preciso entrar ligado nestes jogos, disputando TODA bola. Nos faltou espírito de Copa. Sinal de alerta ligado. O jogo de volta será tenso, mas temos como classificar. O gol qualificado nos dá certa vantagem.

Ah, vejo gente reclamando falta de reposição do Arthur. Como se repõe o meio campo titular do Barcelona?

 

Saudações Tricolores

Posts Relacionados

2 Comments

  1. Paulo R. F. Ferrer
    8 de agosto de 2018 at 14:31 Reply

    Um time de “negos véios” apanhou doutro de crianças. Inaceitável. Os comentários pré-jogo não ajudaram: – o Estudiantes não jogava desde maio, tinha perdido 10 jogadores, jogaria fora de seu estádio e nem sequer se sabia sua escalação. Brinca com castelhano pra ver no que dá. Tomamos um pau.

  2. helena
    8 de agosto de 2018 at 17:54 Reply

    Michel,Michel,Michel,

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: