O mar não está para peixe | Por Fernando Albrecht

O mar não está para peixe | Por Fernando Albrecht

Facebook Twitter Google+ LinkedIn WhatsApp

Esse monte de caniço na plataforma e acredite, ninguém pegando nada. O torneio de pesca que foi previsto para o feriado dos Finados, foi transferido para ontem, por causa dos ventos.

E sábado as condições pioraram ainda mais. Não deu nem pra contar história de pescador.

Dúvida

Capitu traiu ou não Bentinho no livro Dom Casmurro? Essa dúvida assombra fãs de Machado de Assis desde que o primeiro abriu o livro, em 1899. Passa-se mais de um século e Capitu submerge não como mulher, mas como nome de operação da Polícia Federal, que acabou por levar novamente o empresário Joesley Batista a um lugar onde se vê o sol nascer quadrado.

A pulada de cerca

Talvez o agente que dá nomes às operações da PF tenha se valido da Capitu da ficção para a nova operação. Afinal, um dos motivos que levaram à prisão foi o fato de ele ter enganado os federais. “Mentiu e ocultou fatos”, foi a razão da nova ofensiva. Portanto, tudo a ver com Capitu.

Traições

Joesley sempre poderá alegar que não traiu o Bentinho da vida real, mas, ao contrário do livro, não restam dúvidas que o empresário andou aprontando de novo. Aliás, desde o início dessa novela, quando divulgou a gravação com Michel Temer nos jardins do Palácio, Joesley falou tanto, divulgou tanto e contou tanto que era inevitável que ele tropeçasse nas próprias pernas. Chega um momento em que você não se lembra da mentira anterior.

O enxadrista

Todo bom enxadrista sabe que, ao mover determinada peça, o adversário fará um movimento que ele já esperava. E um bom criminalista não faz pergunta sem saber qual a resposta. O segredo da coisa é prever o que o outro fará, qual a nova peça ele já calculou antecipadamente e assim por diante. Pelo que se vê, Joesley é tudo menos um bom enxadrista. Se fosse, saberia que divulgar gravações como aquelas gerariam consequências imprevisíveis que, ao fim e ao cabo, acabaram por levá-lo à prisão e estragar boa parte dos seus negócios.

A pedra no lago

Um tablado de xadrez tem baias demarcadas; uma pedra jogada na água de um lago plácido gera ondas concêntricas imutáveis; uma gravação pesada como aquela gera efeitos imprevisíveis. É o Imponderável da Silva. O que eu quero saber de Capitu II é se ele, lá atrás, naquela noite em que tudo começou, pensava que o cocô que ele jogou no ventilador causaria o mesmo efeito previsível de uma pedra jogada na água?

A grande dúvida

Resta uma questão difícil de responder: A Capitu do livro traiu ou não traiu o Bentinho? Talvez nem Machado de Assis soubesse.

The least…

…but not the last, viram que a investigação da Polícia Federal chegou a propinas recebidas, em 2014, pela cúpula do Ministério da Agricultura? Ano danado esse de 2014. Naturalmente que ninguém sabia.

Posts Relacionados

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: