Inovar é preciso, da forma correta, especialmente num mundo VUCA | Por Jocelito Salvador

Inovar é preciso, da forma correta, especialmente num mundo VUCA | Por Jocelito Salvador

Inovar, de verdade, começa pelas pessoas, passa pelas pessoas etermina com as pessoas.

Então, quer dizer que apenas precisamos das pessoas para inovar?

Não, absolutamente não. Precisamos sim de pessoas + processos bemdefinidos + tecnologias aplicadas.

OK, mas onde começou esta ideia de que somente as empresasinovadoras vão sobreviver ao século XXI?

Nós vivemos no mundo em que o seu ambiente de negócios édenominado como VUCA. Quem sabe você já tenha entrado em contato com estetermo. Contudo, para alinhar nossa visão sobre o assunto, faço questão detrazer uma definição bastante interessante, que foi tratada pela FNQ (FundaçãoNacional da Qualidade), a qual diz:

“O termo V.U.C.A. surgiu nos anos 90 dentro de umcontexto militar e é uma sigla para descrever um ambiente, uma situação oucondições de volatilidade (volatility), incerteza (uncertainty),complexidade (complexity) e ambiguidade (ambiguity). Logo otermo foi adotado pelos administradores, pois traduz muito bem as condições domundo dos negócios nos dias atuais e está influenciando muito a forma de gestãonas empresas.” (O que é um ambiente V.U.C.A. e o que isso tem a ver com gestão.FNQ. 30 nov. 2017).

Pois bem, não é muito difícil de perceber que,especialmente no Brasil, a partir dos anos 1990, com a abertura do mercado aomundo globalizado, com o avanço e evolução da internet e da tecnologia dainformação e comunicação houve mudanças significativas no mundo dos negócios.

Contudo, o mundo dos negócios não está isolado dorestante da sociedade. Por isso mesmo, as pessoas, que estão nos mais diversoslugares e ambientes da sociedade, sofrem as consequências de uma mudança tãoradical.

Foi então que o mundo da administração estratégicapassou a determinar que para sobreviver num ambiente VUCA é necessário inovar.Contudo, não basta inovar uma vez e nunca mais. A inovação, dada avolatilidade, incerteza, complexidade e ambiguidade do meio-ambiente, necessitaser constante. Não necessariamente diária ou mensal, mas constante.

Aliás, a inovação não acontece somente em novosprodutos. Você que já viveu a experiência de utilizar um serviço de táxi “convencional”e após o serviço de transporte de passageiros, baseado em algum aplicativo comoUBER, Cabify, 99 etc., já deve ter percebido que a inovação pode se dar noprocesso do negócio. Neste caso, na forma como o serviço é prestado.

Contudo, como já disse lá no início do nossopost, a inovação começa pelas pessoas, passa pelas pessoas e termina com aspessoas. Então, vamos falar um pouco mais sobre isso.

Toda a inovação começa pelas pessoas, pois, aomenos por enquanto, somos os únicos seres inteligentes capazes de se dar contade que algo pode mudar, pode ficar melhor, pode ser feito de outra forma, quemsabe mais simples e eficaz.

A inovação passa pelas pessoas porque as mudançasdas quais as inovações são decorrentes iniciam por uma ou mais ideias, queforam originadas na(s) mente(s) da(s) pessoa(s).

Além do que, termina com as pessoas, visto quenão parece fazer muito sentido criar produtos ou serviços para que as máquinasou animais possam compra-los ou consumi-los. Não lhe parece?

Isso quer dizer que, querendo você ou não, ainovação passa pelas pessoas e depende destas.

Assim, você quer ter um negócio inovador? Invistanas pessoas, crie processos nos quais a inteligência destas pessoas possa serevidenciada e utilize as tecnologias à sua disposição como um meio e não comoum fim.

O que isso quer dizer?

Tenha um programa de gestão estratégica daspessoas onde elas não são vistas como recursos humanos, mas como seresinteligentes e capazes de aprender, ensinar e inovar.

Veja e reveja os processos do negócio para que agestão das ideias das pessoas seja a mais adequada possível. Isso passa pelasegurança que precisa ser dada à pessoa que é a “dona” da ideia, de que elaserá reconhecida de alguma forma. Afinal, nós, humanos, necessitamos, em algumamedida, nos sentirmos reconhecidos e que não fomos vítimas de injustiças etrapaças.

Além disso, atualmente temos uma série detecnologias que estão à nossa disposição para que se facilite o processo decomunicação, aprendizagem, gestão do conhecimento e inovação.

Então no mundo VUCA, vamos inovar?

Abraços e até a próxima!

Referências Bibliográficas

O que é um ambiente V.U.C.A. e o que isso tem aver com gestão. FNQ. 30 nov. 2017. Disponível em<http://www.fnq.org.br/informe-se/noticias/o-que-e-um-ambiente-v-u-c-a-e-o-que-isso-tem-a-ver-com-gestao>.Acesso em 28 fev. 2019.

Mentor, professor universitário e assessor de Smart Business, possui especialização em Educação Corporativa, Gestão/Administração do Conhecimento e Inovação. Pós-Graduado em Gestão de Educação Corporativa, Bacharel em Ciências Contábeis, escritor de vários artigos e conteúdos educacionais, sobre liderança inteligente, gestão de indicadores, BSC, KPI’s, gestão das competências estratégicas, diferenciais competitivos, pensamento sistêmico, administração do conhecimento, educação e inteligência corporativa, além de inovação contínua. Foi consultor na implantação de Software de Gestão Empresarial (ERP) atuando em projetos na Serra Gaúcha, Porto Alegre (RS), Cascavel (PR) e São Paulo (SP). Atualmente conduz projetos de inteligência corporativa com o uso de tecnologias educacionais inovadoras. Diretor e Consultor da Conducere desde 2002. Voluntário da Fundação Projeto Pescar.

Posts Relacionados

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: