Não pode ficar como está

Facebook Twitter Google+ LinkedIn WhatsApp
Não é comum ver-se um Gre-Nal disputado às 11 horas da manhã em um domingo de sol.Mas foi isso que aconteceu neste dia três de julho,num Beira-Rio lotado de torcedores gremistas e principalmente colorados,que serviu para confirmar o melhor momento do Grêmio, vencedor da partida pelo escore de 1 a 0.Talvez o resultado mais justo tivesse sido um empate pelo desempenho superior do Internacional no segundo tempo.Mas os colorados que sabem ver o jogo,dentro do estádio ou fora dele,com os olhos postos na telinha,não podem se queixar de falta de sorte.O Grêmio  definiu o placar com um gol de Douglas,após defesa parcial de Muriel,no chute de Everton,quando dominava a partida. No segundo tempo,quando o Internacional  partiu para cima do Grêmio,a bola teimou em não escapar das mãos do Grohe.O Grêmio soube aproveitar a melhor oportunidade para marcar.O Internacional desperdiçou todas que apareceram nos segundo tempo.Em verdade,o técnico Argel Fuchs não está  vivendo nestes dias seu inferno astral em razão da derrota  no Gre-Nal.O grande problema,que inclusive ameaça sua permanência no cargo,é a sequencia de resultados negativos do time.Em quinze pontos disputados, o Internacional só ganhou um. Uma sucessão de resultados negativos injustificáveis para um time recheado de jogadores muito bem pagos que recebem de parte da torcida apoio em todos as partidas. Qual a explicação para uma queda de rendimento tão acentuada em poucos dias? Não é fácil a resposta,mas especificamente no Gre-Nal ocorreu um fato que não se justifica em time que deseja ser campeão de alguma coisa. Jogando em casa, Argel optou por um time com três volantes.E mesmo com essa armação medrosa acabou levando o único gol da partida. Quando o Internacional já corria atrás de melhor resultado o técnico retirou Fernando Bob,já com cartão amarelo,e colocou em seu lugar Gustavo Ferrareis,para que o time fosse mais agressivo. Eu sei que certos coleguinhas defendem esse tipo de escalação tímida e medrosa.Eu não.Quando o Internacional joga no Beira-Rio tem que ser protagonista e não mero coadjuvante na partida. As seguidas mudanças na escalação não podem continuar.Argel precisa definir o time titular e apostar nele,salvo quando precisar substituir este ou aquele jogador por lesão ou suspensão.Mas quem deve dizer isto para o Argel é o diretor de futebol ou até mesmo o presidente do clube. Do contrário,o que está ruim vai piorar.E ois colorados passarão mais um ano esperando que o Inter seja novamente campeão brasileiro. Havia sol na tarde do meu domingo em Porto Alegre,mas no meu íntimo eu só via um céu toldado por nuvens ameaçadoras.

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: