O Mestre D´Alessandro | Por Kenny Braga

Facebook Twitter Google+ LinkedIn WhatsApp

A opinião de que o Internacional não teria resvalado para a Série B do Brasileiro, no ano passado, se  D’Alessandro tivesse permanecido no Beira-Rio transformou-se numa espécie de consenso. Em oportunidades diferentes externei a mesma opinião. Mas, felizmente, não sou dono de nenhuma opinião original. Para minha satisfação, li nestes dias entrevista do ex-técnico do Internacional, Argel Fuchs, dizendo a mesma coisa.

E durante a transmissão do segundo jogo do Internacional com o Sampaio Corrêa, pela Copa do Brasil, realizado quarta-feira ( 15 de março ), no Beira-Rio, ouvi opinião idêntica exposta pelo narrador e o comentarista da Fox News. O Internacional venceu o jogo facilmente pelo placar de 3 a 0, com, dois gols de Carlos e um de D’Alessandro. Quando o mestre do meio-campo marcou o terceiro gol, de forma irrepreensível, cobrando falta com o pé esquerdo, aumentou o entusiasmo dos dois profissionais com o futebol do argentino. Quem poderá divergir da opinião de que com ele no time o Internacional não teria sido rebaixado? Infelizmente, porém, D’Alessandro voltou para o River no início da temporada de 2.016 por divergências com dirigentes do clube, que não souberam respeitá-lo. Mas voltou ao seu país apos  ter chorado como se fosse um menino das categorias de base. O mestre D’Alessandro é um jogador totalmente identificado com a camisa vermelha e os torcedores, em sua esmagadora maioria, valorizam suas qualidades técnicas. Tenho certeza de que a presença de D’Alê no time na atual temporada será uma espécie de tônico revigorante no organismo do time do Internacional. Não é qualquer jogador que se orgulha de disputar 350 partidas com a camisa do mesmo clube. É um número mágico, que o mestre vai comemorar com muita alegria no jogo contra o São Paulo, pelo Gauchão.

Mas apesar da sua utilidade indiscutível, será importante que o técnico Antonio Carlos Zago encontre também uma fórmula de o time jogar bem nos impedimentos de D’Alessandro. O time tem que render mais mesmo sem a presença de D’Alessandro. Penso que Seijas é o nome mais indicado para substituir o mestre, se ele não jogar por um motivo ou outro. Mas Seijas precisa melhorar o seu futebol. Ou será que não é mais o jogador que o Internacional contratou com o carimbo da seleção do seu país? O técnico Antonio Carlos Zago tem que fazer um acompanhamento vigilante do comportamento de Seijas, nos treinos, jogos e até mesmo fora do estádio. Não que exista qualquer fato negativo em relação a isto. Seijas é um jogador de bom nível intelectual e comportamento sem mácula. Mas talvez precise de ajuda para reencontrar o seu futebol de seleção.

Posts Relacionados

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: