DOIS NOTÁVEIS | Por Kenny Braga

Facebook Twitter Google+ LinkedIn WhatsApp

Quando terminar o campeonato gaúcho de 2.017,com a taça nas mãos de quem merecer o titulo, vou comparar os números do Internacional com os do ano passado. Mas certamente os de 2.016 serão mais expressivos do que os do Gauchão deste ano, caso se confirme ou não a sequência de títulos do Internacional desde 2.011. Sob o comando do técnico Argel Fuchs, o Inter venceu 11 partidas das 18 disputadas, empatou uma e sofreu apenas uma derrota. A campanha garantiu ao clube seu quadragésimo quinto título do Gauchão, em noventa e cinco edições do nosso regional. O grêmio conquistou  36 títulos. Vantagem que em termos da rivalidade local não pode ser menosprezada. Portanto, quando os colorados mais exigentes cobram atuações  convincentes do time no atual Gauchão, querem festejar o titulo de heptacampeão, mas também ver o número de faixas do regional aumentar em relação do Grêmio.

Numa rápida consulta à memória, constato que apenas quatro jogadores colorados que disputaram no início de fevereiro de 2.016 um jogo atípico contra o São José, na segunda rodada do Gauchão, também decidindo o titulo da Recopa Gaúcha, ainda aparecem na escalação do time titular: William, Paulão, Rodrigo Dourado e D´Alessandro..O Inter venceu o São José no tempo regulamentar por 2 a 0 e por 3 a 1 nos pênaltis, conquistando a Recopa. Números um pouco diferentes da partida contra o Ypíranga, disputada quarta-feira à noite ( 22 de março), em Erechim, que terminou empatada em 1 a 1 no tempo regulamentar e o Internacional venceu nas cobranças de pênaltis por 4 a 2. O bi da Recopa Gaúcha ficou com o time que tem um dos melhores goleiros do Brasil, Danilo Fernandes. Ele defendeu em duas cobranças, transformando-se em personagem do jogo.

Apesar de tantas modificações ocorridas no time em um ano, os colorados ainda podem ver em campo a dupla de jogadores indispensáveis a sua melhor formação: Danilo Fernandes e D´Alessandro. Um fato digno de comemoração, muito diferente do que aconteceu em fevereiro de 2.016 quando, após a partida contra o São José, foi noticiada a saída de D´Alessandro do Beira-Rio. Inexplicavelmente à luz da inteligência, o jogador foi emprestado por um ano ao River Plate, apesar do contrato em vigência com o Internacional. Pelo menos esse desconforto não afeta os colorados em 2.017. Aos 35 anos, D´Alessandro parece um guri atuando em alto nível com a camisa vermelha. E com uma carga de emoção e vibração poucas vezes vista num jogador colorado. Após a cobrança dos pênaltis e a entrega da taça da Recopa Gaúcha em Erechim, D´Alessandro foi em direção à torcida colorada carregando Danilo Fernandes nas costas. Se os dois não jogassem mais no Inter eu estaria à beira da depressão, sem qualquer esperança de que 2.017 seja, para os colorados, melhor do que 2.016.

Posts Relacionados

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: