Na garra e no outubro rosa | Por Ricardo Soletti

Na garra e no outubro rosa | Por Ricardo Soletti

Não foi sem sofrimento. Não foi sem irritação. Nem sem aquele medo de tomar um golzinho cagado a qualquer momento.

O fato é que, aos 50 minutos do primeiro tempo, vencemos o retrancão do Brasil de Pelotas e o seu irritante goleirinho metido a malandro pra colocarmos mais 3 pontos na conta e ficarmos a uns 7 da primeirona.

Acho que Cuesta fez sua melhor partida no Inter, Edenilson virou um gigante depois da expulsão ginasial do Sasha, D‘Ale foi o cara, mais uma vez, da assistência de ouro e Damião confirmou-se como a principal contratação do ano pra sairmos do atoleiro da segundona.

Estes foram os grandes destaques de uma noite em que parimos uma bigorna pra passarmos pelo aguerrido mas pouco inspirado Xavante.

De negativo, o Winck – que eu só fui me dar conta de que estava no jogo lá pelos 30 do segundo tempo, quando se machucou e a câmera fechou nele, e Pottker que corre como um cavalo e finaliza como uma topeira. Como perde gol, pelo amor de Deus!!!

Sigo achando que, pra termos alguma chance de ganharmos algo decente em 2018, precisamos de:

1 lateral direito titular, 2 zagueiros titulares, 1 lateral esquerdo titular, mais 1 meia armador e 1 atacante.

Pra quem já está me xingando por não considerar nem o Cuesta como titular, peço que revejam os gols que tomamos nessa série B. E olha que os times são horríveis de ruim. Primeirona é outra turma. Não esqueçam disso.

Enfim, estamos na primeirona e, se Deus quiser, o Xavante vai conseguir se segurar na série B. Deveria ser proibido times com torcidas como as nossas caírem de divisão.

 

PS: ficou linda a camiseta do Inter para o Outubro Rosa. O melhor tratamento sempre será a prevenção.

 

Na boa e na ruim, Colorado até o fim.

 

Foto: Sport Club Internacional

Related Posts

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: