Parecer de auditoria externa vaza e aponta problemas na atual gestão do Inter

Facebook Twitter Google+ LinkedIn WhatsApp

O vazamento do Parecer (Acesse a íntegra do documento aqui) da Baker Tilly Brasil, empresa contratada pelo Conselho Fiscal do Internacional para auditar as contas do primeiro ano da gestão Vitório Piffero, causou constrangimento entre conselheiros e direção. O documento que será apresentado na reunião do Conselho Deliberativo, na próxima segunda-feira, dia 11, promete acirrar o ânimos.

Problemas como notas fiscais com data de emissão inexistente, falta de assinaturas para determinados custos e de aprovação das vice-presidências e invalidade de um CNPJ junto à Receita Federal causaram divergências entre os membros com Conselho Fiscal.

Em nota publicada no site do Inter, o Conselho Fiscal lamenta o vazamento do relatório “os controles internos relativos à concessão e prestação de contas de adiantamentos de numerários, foi objeto de análise pelo órgão, resultando em divergência (de seus oito membros, dois consideraram o mesmo uma ressalva de controle interno) devidamente apontada no Parecer exarado pelo órgão, sem, entretanto, considerá-lo uma ressalva”.

Abaixo a íntegra da nota.

Nota oficial do presidente do Conselho Fiscal sobre as contas do Clube

O Conselho Fiscal do Sport Club Internacional, em face de notícias veiculadas na data de hoje, vem a público esclarecer que seu Parecer em relação às contas do exercício 2015 do Clube, já remetido aos membros do Conselho Deliberativo para julgamento em 11 de abril próximo, é pela aprovação sem ressalvas das referidas contas. O lamentável vazamento de relatório emitido pela empresa de auditoria independente contratada para assessoramento do Conselho Fiscal tem levado a distorções sobre o referido opinativo.

Um dos apontamentos analisado, a pedido deste Conselho Fiscal, o que se refere aos controles internos relativos à concessão e prestação de contas de adiantamentos de numerários, foi objeto de análise pelo órgão, resultando em divergência; de seus oito membros, dois consideraram o mesmo uma ressalva de controle interno, devidamente apontada no Parecer exarado pelo órgão, sem, entretanto, considerá-lo uma ressalva às Demonstrações Contábeis do exercício, não as maculando, tanto que, ainda assim, foram favoráveis à aprovação das contas.

Em respeito ao Clube, especialmente aos colegas do Conselho Deliberativo, este órgão não debaterá o tema até que julgadas referidas contas.

Lamentamos o ocorrido, que será objeto da devida apuração de responsabilidades.

Porto Alegre, 06 de abril de 2016.

Geraldo Costa da Camino – Presidente

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: