PANDEMIA, PANDEMÔNIO OU PANTOMIMA | Por Fernando Dinis

PANDEMIA, PANDEMÔNIO OU PANTOMIMA | Por Fernando Dinis

Facebook Twitter Google+ LinkedIn WhatsApp

Em tempos de corona, quedo-me na reclusão compulsória, nem tanto, mas vamos lá.
O “ócio” para uns, dizem os sábios, é a oficina do demo. Criei-me ouvindo que também pode ser a
oficina da criatividade.

Enfim, filosofias e ditados populares à parte. Ocupando o tempo entre o trabalho à distância, rádio
ligado, entradas esporádicas nas redes sociais, levou-me a questionar se estamos a viver um
pandemônio, uma mudança de paradigmas ou um grande palco que marionetes, uma falsa liberdade
ou no meio de uma grande tirania, sem sabermos exatamente quem é o nosso ditador.

Nessas reflexões, prevaleceu o lado advogado. Não existe uma verdade, sempre haverá um
contraponto, uma corrente oposta, sem que possamos afirmar seguramente que de fato está certo.
Os noticiários a grosso modo, estão a passar verdades de especialistas de salão, e outros nem tanto,
que se anotarmos em um pedaço de papel, vai morrer mais gente que todos os humanos que passaram
por esta terra desde Adão e Eva. Tem mais gente infectada que os habitantes da terra e da lua, por isso
todo o mundo em casa, de preferência, embrulhados, sim, embrulhados em mortalhas, afinal estamos
no final dos tempos.

De outro lado especialistas qual os outros, nos tranquilizam, sugerem cautelas, mas que a vida seja
tocada como der, pois, a praga da inatividade econômica matará, bem, mais que o corona.
Enfim, cada um, em especial os homens públicos, os servidores públicos, alguns, prefeitos,
governadores, vereadores, deputados, senadores, elementos dos demais poderes, judiciário,
ministério público, aos quais nada falta e tudo farta, formadores de opinião, degladiam-se para que
cada um do alto de sua ciência, por vezes opinática, chegue a todos os recantos do reino.

De concreto, voltamos ao ponto de partida, nós os reles, os da vida real, temos que nos amochar,
ficar em casa pois a praga mata, estamos em tempos de pandemia, que os Ifood nos levam a comida,
pela mão dos entregadores, que por certo são os primos pobres do super-homem, pois, a esses ao que
tudo indica nada pega, estão imunes. Uma notícia por aí alerta que as lojas de chocolate podem abrir
24horas( será verdade!!!!).

Feitas essas reflexões neste ócio forçado, fico a perguntar-me há uma pandemia? vivemos um
pandemônio? Ou uma Pantomima?
No meu sentir, os especialistas na arte da pantominice a pretexto da Pandemia, criaram esse
pandemônio que nos aprisiona, empobrece, amordaça.

Porto Alegre, 08 de Abril de 2020
Fernando Dinis

Posts Relacionados

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: