Diretor do Centro Social Pe. Pedro Leonardi, na Restinga Velha, faz um balanço das ações da instituição junto à comunidade durante 2020   

Diretor do Centro Social Pe. Pedro Leonardi, na Restinga Velha, faz um balanço das ações da instituição junto à comunidade durante 2020  

Facebook Twitter Google+ LinkedIn WhatsApp

“A pandemia passará, mas ela não pode levar a solidariedade”, pede Claudionir Ceron

 

No ano em que o mundo enfrenta uma pandemia, seguida de uma grave crise econômica, a solidariedade se fez presente na vida de pessoas em situação de vulnerabilidade social. O Centro Social Pe. Pedro Leonardi, localizado na Restinga Velha, redobrou as ações de auxílio à crianças, jovens, adultos e idosos no ano de 2020, mesmo com as atividades presenciais suspensas devido ao Coronavírus. Com a ajuda da população e de empresas, a instituição doou alimentos, produtos de higiene, kits de proteção, materiais educativos, roupas e alimentos.

 

“A solidariedade é própria do ser humano. Devemos ser solidários com aqueles que se encontram em situação de vulnerabilidade social. Ninguém é tão pobre que não possa ajudar, seja com uma palavra amiga ou com qualquer doação, por menor que seja”, afirma Claudionir Ceron, diretor do Centro Social. De março até a primeira semana de Dezembro, foram entregues 2.785 cestas básicas, mais de 15.000 marmitas do Projeto Prato Alegre,  2 mil kits de higiene, 49,4 toneladas de alimentos (não perecíveis e hortifrutigranjeiros), 17 mil agasalhos (entre roupas, sapatos e cobertores),  4 mil máscaras, 700 capas de chuva e 917 kits do saber, materiais pedagógico para os educandos, além de 108 testes de COVID aplicados nos colaboradores e usuários do projeto Prato Alegre.

 

Sem previsão exata da chegada da vacina, Ceron pede para que as pessoas não se desmobilizem quando o assunto é ajuda ao próximo. “A pandemia vai passar, mas não podemos deixar que a pandemia leve junto a solidariedade, o amor, a partilha, o respeito. O vírus atinge o nosso pulmão, mas também a nossa mente, o nosso coração quando nos tornamos egoístas quando acumulamos, acumulamos e acumulamos”, conclui Ceron.

 

DOAÇÕES

Quem quiser e puder ajudar o Centro Social Pe. Pedro Leonardi pode entrar em contato com o telefone (51) 98410-5400 ou pelo e-mail contato@aparecidatinga.com.br. É possível, ainda, fazer transferência bancária através das contas abaixo:

 

+ AJUDA

Mitra da Arquidiocese de Porto Alegre (CNPJ: 92.858.000/0034-03)

 

PIX – Transferência de qualquer valor sem taxa bancária. A chave do Centro Social é o nosso CNPJ.

 

BANRISUL

Agência: 0797

Conta: 06.001181.1-6

 

SICREDI

Agência: 0116

Conta: 42451-0

 

Conheça o CENTRO SOCIAL PE. PEDRO LEONARDI

 

Afastado do Centro, mas próximo de quem mais precisa. O Centro Social Padre Pedro Leonardi, localizado na Restinga Velha, em Porto Alegre, foi criado no dia 21 de abril de 2005. É uma instituição sem fins lucrativos, vocacionada a atender pessoas em situação de risco e vulnerabilidade social, garantindo o acesso à direitos básicos através da oferta de serviços e projetos, que trabalham o resgate da cidadania e dignidade, além de promover qualidade de vida.  O Centro Social pertence a Paróquia Nossa Senhora Aparecida da Restinga, Mitra da Arquidiocese de Porto Alegre.

 

Dirigida pelo Padre Ceron, nossa instituição mantém em uma parceria com a Prefeitura Municipal/FASC 03 Casas Lar que acolhem crianças e adolescentes entre zero e dezessete anos temporariamente afastados de seus responsáveis, devido medida judicial. São situações que apresentam fragilidade e/ou rompimento de vínculos familiares. Em cada Casa é possível acolher até 08 crianças e adolescentes.

 

Também em parceria com a FASC, oferecemos atendimento de segunda a sexta-feira no contraturno escolar, através dos Serviços de Convivência e Fortalecimentos de Vínculos direcionados a crianças e adolescentes, onde trabalhamos o resgate da autoestima do usuário e seu pertencimento social e comunitário, a partir de atividades lúdicas, pedagógicas e socioassistenciais. Para esses serviços, dispomos de salas de atividades adaptadas e, também, de biblioteca, auditório, quadra de esportes, pista de skate e refeitório com capacidade para acomodar até 350 pessoas.

 

Ofertamos para o público em situação de rua e extrema vulnerabilidade o projeto Prato Alegre. Este, é a descentralização do Restaurante Social, onde é servido para nossos usuários 100 almoços por dia, com atendimento social e orientação de locais para busca de garantia de direitos.

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: