AACD-RS faz atendimento para tratar sequelas da COVID-19 em pacientes do SUS

AACD-RS faz atendimento para tratar sequelas da COVID-19 em pacientes do SUS

Facebook Twitter Google+ LinkedIn WhatsApp

Fundada em 1950, a AACD possui uma infraestrutura completa dedicada à reabilitação e habilitação de pessoas com deficiências físicas e necessidades ortopédicas

 

Depois de um ano de pandemia e mais de 845 mil pessoas confirmadas com Coronavírus no Rio Grande do Sul, o estado registra mais de 807 mil pacientes recuperados e, muitos dos quais, precisando de reabilitação para as sequelas deixadas pela doença. A AACD-RS em Porto Alegre, credenciada pelo SUS é uma das instituições com prestação de serviço para receber os pacientes com sequelas pós-covid que necessitem de reabilitação física (sequelas motoras e respiratórias).

Essa tem sido a rotina de Viviane, uma dona de casa de 35 anos, infectada entre os meses de junho e julho do ano de 2020. Ela se recorda dos 35 dias que esteve internada no Hospital de Clínicas de Porto Alegre, dos quais 28 entubada na UTI do hospital. Pouco após sua alta, em setembro do ano passado, a dona de casa iniciou tratamento na AACD para tratar das sequelas pós-covid, encaminhada pelo posto de saúde.

“A paciente chegou muito debilitada, tanto na parte motora quanto, e principalmente, na respiratória. Quando chegou na unidade, por exemplo, não conseguia fazer tarefas simples como se sentar e se levantar de uma cadeira e, nas tarefas domésticas, Viviane, só podia varrer um cômodo por vez”, comenta Emanuele Cominetti, uma das fisioterapeutas responsáveis pelos atendimentos realizados por Viviane na AACD.

Sem histórico de comorbidades, depois de seis meses de tratamento na fisioterapia solo, respiratória e aquática, Viviane está próxima de receber alta, resgatando sua autonomia e independência.
Sobre a AACD

Fundada em 1950, a AACD possui uma infraestrutura completa dedicada à reabilitação e habilitação de pessoas com deficiências físicas e necessidades ortopédicas – composta por um hospital ortopédico, oito unidades de reabilitação e cinco oficinas para fabricação de produtos ortopédicos. Em 20 anos de operação no Rio Grande do Sul, a instituição realizou mais de 2,1 milhões de atendimento, com uma média mensal de 7 mil atendimentos, oito serviços de terapias, duas áreas médicas e uma oficina ortopédica. Acesse: aacd.org.br.

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: