Azeite gaúcho Bem-te-Vi é premiado em Israel

Azeite gaúcho Bem-te-Vi é premiado em Israel

Facebook Twitter Google+ LinkedIn WhatsApp

Bem-te-Vi, azeite produzido em Encruzilhada do Sul, recebe medalhas Grand Prestige Gold em um dos três mais importantes concursos do mundo

O Azeite Bem-te-Vi foi premiado no concurso Terraolivo, de Israel, um dos três principais concursos internacionais de azeite. Os monovarietais arbosana e koroneiki receberam a medalha _Grand Prestige Gold_, prêmio máximo entre as três categorias Ouro da disputa. O concurso aconteceu entre os dias 11 e 17 de junho, em Jerusalém, e os resultados foram divulgados neste domingo, 10 de julho.

“Estamos imensamente felizes, sobretudo porque Israel é o berço da olivicultura no mundo e esta é a nossa primeira safra. Iniciamos a nossa história com a chancela de qualidade do Terraolivo, um dos concursos mais respeitados do mundo”, comenta a sócia-proprietária Michelle Sápiras.

Desde 2010, o Terraolivo destaca os melhores azeites entre mais de 20 países participantes. Neste período, cinco mil azeites foram avaliados por cerca de 70 provadores, entre azeitólogos, sommeliers de azeite, degustadores, pesquisadores, produtores, agricultores, entre outros profissionais do mercado da olivicultura. Em 2022, 643 rótulos de 15 países participaram da competição.

“Temos certeza da qualidade superior do nosso azeite porque sabemos cada esforço que fizemos para seguir rigorosamente os protocolos de produção que nos garantiram estes resultados. É um conjunto de cuidados que agora são reconhecidos. É a confirmação de que estamos no caminho certo e que o trabalho sério e responsável sempre vale à pena”, comenta Edison Vara, produtor e sócio da marca.

Origem

A marca Bem-te-Vi  surgiu em 2022 com a primeira colheita em escala comercial, mas a história inicia em 2017, com a escolha e aquisição da área a ser cultivada. A decisão pelo município de Encruzilhada do Sul não foi aleatória, a cidade reúne as melhores condições de solo e clima do país para a o cultivo de oliveiras. O Rio Grande do Sul concentra 75% da produção nacional de azeite extravirgem e o município já é o maior do país em número de propriedades dedicadas ao cultivo de azeitonas.

O casal Michelle Sápiras e Edison Vara, ela executiva de negócios e ele fotógrafo, decidiu investir em um negócio que os aproximasse da natureza. Chegaram à olivicultura e se apaixonaram pela possibilidade de produzir um azeite extravirgem de excelência, que pudessem cuidar de todas as etapas do processo.

Da árvore à garrafa

Do plantio à colheita manual, 100% das olivas que compõem os azeites Bem-te-Vi são próprias, garantindo o controle integral do processo. O azeite é processado no mesmo dia em que os frutos são colhidos. Assim que as olivas deixam o pé, são levadas para uma câmara fria para controle de temperatura e luz. No fim do dia, são transportadas em caminhão refrigerado até o lagar, no qual são imediatamente processadas. O azeite é filtrado e armazenado em tanques de inox isolados do oxigênio em ambiente refrigerado até que seja engarrafado. Tudo para garantir que o produto chegue íntegro e fresco, cuidados que preservam tanto as qualidades nutricionais quanto às sensoriais do produto.

A extração do azeite Bem-te-Vi é realizada no lagar do reconhecido Azeite Sabiá, um dos mais modernos do país. Localizado a poucos quilômetros do pomar Bem-te-Vi em Encruzilhada do Sul, o lagar do Azeite Sabiá dispõe da tecnologia italiana em extração de azeites, com filtragem de alta qualidade e controle extremo de todas as etapas.

Crédito de imagem: Edison Vara

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: