Stones não conseguem Satisfaction, nós sim. Noite de João e perdão!

Facebook Twitter Google+ LinkedIn WhatsApp

Estrear na Rede de Opinião comandada pelo João do Rádio – o João Garcia – um Nilton Santos da Crônica Esportiva, porque é uma Enciclopédia do Futebol, é algo prazeroso, que dá orgulho, mas que, confesso, a mão treme. Estou falando de um cara sério. Pesa a camisa. Então há que se disfarçar o nervosismo com alguns truques que a idade vai ensinando. João é o nome que mais aparece na árvore genealógica da minha família. João era meu avô materno, cujo filho recebeu o mesmo nome, João Menna, irmão mais velho de minha saudosa mãe; dos filhos homens o primogênito meu, é João Caetano, também Menna, de Oliveira, e se vão pela família e afins muitos João’s, o João Ernesto, o João Gabriel, o João Vitor, e ainda o primo político, João Emerson. João, o Apóstolo do amor … tá parando de tremer a mão. Se Garrincha fosse bom, como contam e cantam, teria driblado a vida, não João, porque estes não são driblados, se fossem teriam como o passarinho, morrido precocemente; João seguiu, vida longa, e, como cantou o Poeta para o ponteiro, sua ilusão acabou entrando em campo com o estádio vazio. Garrincha ficou na lembrança, os João’s fizeram e continuam fazendo a história. Vencedor não é o que faz muito, é o que faz mais.
Pois no dia que piso pela primeira vez no gramado da Rede de Opinião, o Grêmio estreou na LA 2016. Sim, porque contra o Toluca não entrou em campo, então foi mesmo nesta quarta feira que o tricolor se apresentou. E mais, com uma torcida que derrotou Mick Jagger. O show dos Stones atraiu gente de todos os times, a Arena só tinha Gremistas. Percebem a diferença? Lupicinio não estava errado: “és imortal tricolor”! Dói este verso a mais vindo de um ícone da MPB e negro. Não nos perdoam por Lupi ser negro, não nos perdoam pela Estrela no pavilhão ser em homenagem a um Negro. Não nos perdoam pelos anos 90. Adoro esta falta de perdão. E hoje um negro fez a diferença, Bolaños. Entramos ganhando de 1 x 0 porque todos nós sabíamos que ele faria um. Só que não sabia eram os secadores, assim, frase com singular e plural. O Grêmio hj entrou ganhando de 1 x 0. Todos nós sabíamos que ele faria um gol, tão certo como Mick cantaria Satisfaction ensopado se chovesse. O cara da vez. O Grêmio chegou e estreou ontem na LA. Quem foi ao Brio ver Stones sendo gremista foi com a justa causa de que nunca mais veria a banda, se esqueceu porém que os jogos do Grêmio são para toda a vida. Perdoai-os, senhor, não sabiam o que faziam. Mick sob chuva não conseguiu Satisfação, em noite de Maicon e Bolaños, H Almeida, Everton (e Luan); os Gremistas tentaram e conseguiram. Sabiam que iriam conseguir. Se a LDU tivesse Réver, seriam 5.
Henrique Almeida entoou o coro para o Brio, nós temos satisfação.

“Iniciando com férias é para os fortes, saio dia 10 e volto depois do dia 22”.

Saudações tricolores.

Posts Relacionados

3 Comments

  1. saul berdichevski
    4 de março de 2016 at 09:24 Reply

    Belo texto amigo Josias ! A lembrança do show do Gremio e do Stones achei ótima! Na Arena 40 mil gremistas no brio certamente 2/3 de tricolores que a cada goal vibravam dando um colorido azul no show do Stones. Abs

  2. Juliano Ferrer
    4 de março de 2016 at 10:09 Reply

    Belo texto! Bela estreia! Não seria de outra forma…

  3. João Garcia
    5 de março de 2016 at 08:27 Reply

    Obrigado,tuas palavras(exageradas quanto a nin) são,no entanto,incentivo para a equipe do site seguir a luta.
    Um abraço
    João Garcia

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: