Desatenção dos profissionais na leitura da descrição das vagas | Por Monica Rizzatti

Desatenção dos profissionais na leitura da descrição das vagas | Por Monica Rizzatti

Facebook Twitter Google+ LinkedIn WhatsApp

Me deparo diariamente com inúmeras oportunidade de trabalho que são divulgadas nas redes sociais, principalmente no LinkedIn, visto que esta é uma das mais usadas atualmente. Após o anúncio, no qual o recrutador repassa todas as informações necessárias, podemos observar lendo os comentários que os mesmos, sequer são lidos até sua conclusão. As perguntas aos questionamentos são as mesmas que estão descritas no anúncio.

É nítida, a falta de atenção das pessoas quando buscam emprego. E qual a razão disso??? Será a ansiedade pela busca de recolocação; a preocupação por ter que fazer outras prospecções; o stress que já se instalou pela necessidade de um emprego; a cobrança por parte dos familiares?! Não sei, mas uma coisa é certa, estamos vivendo com jovens de geração totalmente diferente daquela de 20 anos atrás. Hoje, tudo é feito na pressa, com foco no resultado imediato. O quanto isso é positivo, ainda me questiono.

Tenho muitosclientes que optam por contratar profissionais para fazerem carreira dentro da empresa. Buscam candidatos para cargo de estagiário ou trainee para que eles possam se apoderar da cultura da empresa e crescer nesta organização. Normalmente este é um modelo de empresas familiares em cidades menores. Por outro lado, as grandes cidades e empresas de tecnologia, buscam profissionais que tenham foco em resultado, sem se preocupar com o quanto tempo ficarão na empresa, mas enquanto estão lá dentro, devem vestir a camisa, fazendo as coisas acontecerem em tempo recorde.

Os profissionais precisam entender para qual empresa estão se candidatando.Segundo uma pesquisa do site de empregos CareerBuilder, 76% dos recrutadores do setor de tecnologia consultam a Internet para encontrar novos talentos. Isso significa que quem está por fora do mundo online pode acabar perdendo uma boa oferta de trabalho, pois mais de um terço (35%) dos recrutadores desistem de entrevistar um candidato se eles não conseguem encontrar informações sobre o profissional na Internet. Isso acontece porque a maioria (52%) dos recrutadores usam as redes sociais para saber mais sobre os candidatos.

As empresas pesquisam os nomes de candidatos na Internet durante o processo seletivo, logo, seu perfil nas redes sociais serve para validar, ou destruir, a imagem que você construiu em seu currículo.

Muitos pesquisadores se dedicam a estudar os efeitos do hábito da leitura no desenvolvimento neurológico e do pensamento crítico. Ler mais ajuda a desenvolver a comunicação e a expressar-se melhor, utilizando a linguagem para alcançar objetivos específicos. Não ler, ao contrário, dificulta muito o desenvolvimento dessas habilidades e o resultado são profissionais que não conseguem se fazer entender, fechados no seu mundo e perdendo chances valiosas de evolução profissional.

Por fim, tem sim trabalho para todos aqueles que se qualificam, que sabem ouvir, que sabem questionar, que sabem se vender, que façam diferente, que façam mais e, principalmente, tenham atenção ao que é solicitado, fazer carreira na empresa certa.

Posts Relacionados

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: