ONG Misturaí recebe prefeitura para definir  futuro da área do COPA na Vila Planetário

ONG Misturaí recebe prefeitura para definir futuro da área do COPA na Vila Planetário

Facebook Twitter Google+ LinkedIn WhatsApp

Espaço é reivindicado há pelo menos um ano para que a entidade possa ampliar projetos sociais desenvolvidos na comunidade

 

A comunidade da Vila Planetário, representantes e voluntários da ONG Misturaí vivem a expectativa de uma resposta da prefeitura a uma reivindicação antiga da entidade: utilizar parte de um prédio atualmente desocupado na Casa de Artes Santa Terezinha, conhecida entre os moradores da Vila Planetário, no bairro Santana, como COPA. Na segunda-feira (27), 15h, uma visita de representantes da Secretaria de Governança da prefeitura deve sinalizar uma destinação do espaço público, ocioso há anos.

 

– Já fizemos inúmeros pedidos para aproveitar esse espaço, compartilhar essa área. Desde o governo passado estamos enviando ofícios e participando de reuniões. É muito frustrante não ter uma resposta, sendo que fazemos um trabalho que, se pensar bem, é um dever dos governantes – diz Tia Mara, presidenta da Misturaí.

 

O COPA fica no centro da Vila Planetário, a poucos metros da sede da ONG, que desenvolve projetos sociais na comunidade em áreas como educação, cultura e geração de renda, sem contar a distribuição diária de refeições a pessoas em situação de rua ou em vulnerabilidade social. Só em quentinhas, a Misturaí já distribuiu quase 170 mil unidades. A ideia é ampliar os projetos na área sociocultural, o que esbarra na disponibilidade de espaço.

 

Atualmente, a ONG aluga salas – uma delas com recursos de um edital que deve se encerrar em setembro – para garantir aulas de música, educação ambiental e de reforço escolar para as mais de 40 crianças atendidas na Vila Planetário. São espaços pequenos, que impõem dificuldades às atividades, especialmente na pandemia, quando as medidas de distanciamento se tornaram necessárias. A expectativa das representantes da Misturaí é de que a reunião desta segunda-feira delibere sobre o futuro do COPA e que esse horizonte inclua o reconhecimento do trabalho da ONG e permita o acesso da comunidade, que não dispõe de equipamentos culturais.

 

O prédio chamado de COPA tem aproximadamente 200 metros quadrados, e a ONG tem interesse na utilização de duas salas que totalizam 54 metros quadrados. O uso dessas salas não interferiria na ocupação atual do outro prédio da Casa de Artes Santa Terezinha, maior e com dois andares.

 

– Para nós, é importante estarmos dentro da comunidade. Não adianta irmos para outro lugar se é aqui que atuamos dia a dia, oferecendo refeições, apoiando as famílias e discutindo os problemas das pessoas. Quando olhamos para aquele espaço fechado, não tem como não ficar triste, sabendo que poderíamos estar ali fazendo coisas maravilhosas – lamenta Tia Mara.

Leave a Reply

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

%d blogueiros gostam disto: