Nunca foi tão necessário construir a Cultura da Paz

Os altíssimos índices de criminalidade e de violência têm colocado o país em péssimos lugares no ranking mundial da área. A notícia de que uma jovem de 16 havia sido estuprada no Rio de Janeiro na semana passada por 33 homens numa comunidade da periferia estarreceu o mundo, chocou os brasileiros e as brasileiras. Capas das revistas semanais dedicam-se ao tema, como Época, com a tenebrosa estatística de que a cada 11 minutos é registrado um caso de mulher violentada no país. Jornais dedicaram-se à cobertura do estarrecedor número de mulheres vítimas de violência, como O Estado de S.Paulo que cita a estatística de que dá entrada no SUS 1 mulher vítima de violência a cada 4 minutos. O país está se tornando cada vez mais violento, e quem mais sofre é a mulher que, somada às crianças vítimas de violência doméstica, passa a exigir uma política pública explícita e coordenada nacionalmente que barre esse horror.

Inovações legais, como a Lei Maria da Penha, e políticas locais e estaduais têm sido aplicadas, muitas com resultados altamente positivos. Em 2007, logo ao assumir o governo, lancei em fevereiro o PPV-Programa de Prevenção da Violência, com Câmara Setorial própria dentro da gestão governamental, e coordenada pela Secretaria da Saúde, contando com ações por parte de TODAS as secretarias de governo. Como primeira ação, foi mostrado o Mapa da Violência, feito a partir de registros do SUS, e que guiou a escolha dos 50 bairros mais violentos do estado para ações intensivas por parte do governo estadual. Os resultados foram significativos, tanto em termos de redução dos índices de violência e de criminalidade, quanto em resposta das pessoas porque as comunidades receberam todos os estímulos e investimentos que trouxessem seus habitantes para perto do que seja a Cultura da Paz. Acesso aos serviços básicos, presença do governo em todas as áreas, agentes comunitários sociais, tudo se voltou a uma prioridade que, então explicitada como tal, melhorava a qualidade de vida dos cidadãos e cidadãs.

Era meu Secretário da Saúde Osmar Terra, hoje Ministro do Desenvolvimento Social, Com seu programa para a Primeira Infância Melhor, agora com toda a pauta para o Desenvolvimento Social em todo o Brasil, Osmar Terra poderá participar com ativismo ímpar dos esforços do Governo Temer para barrar a violência contra a mulher e a criança. É uma grande luta, o país merece!

Related Posts

Leave a Reply

%d blogueiros gostam disto: